André Rocha em 03/12/17
Em um sentido único e determinado,
Nós somos compelidos a caminhar.
Sob reflexo de heranças do passado
Julgamos o que aprendemos a julgar.
 
De modo que um passo não é dado,
Sem a jurisprudência então consultar.
Se é um direito do réu ficar calado,
A sua versão ninguém irá escutar.
 
Fica o cidadão então, mal governado,
Aquele que governa então acusado,
Que não parece querer se justificar.
 
Segue o povo, que já está acostumado
Ver pela justiça o quanto é insultado,
Sem saber, a quem ela então servirá.
 
André Rocha
03/12/2017
Você gostou? Compartilhe:

Tags: , , , , ,

André Rocha em 20/08/17
O epicentro das dores
que se faz meu coração,
Se nas pernas tremores
Enlouquecida está a mão.
No sismógrafo, os amores
E na cabeça, confusão.
As cartas dos navegadores
Só os levam a solidão.
 
André Rocha
Inverno 2017
Você gostou? Compartilhe:
André Rocha em 18/08/17
Ouço sons desagradáveis…
minha reação se iguala à inércia.
Não há como tapar os ouvidos,
pois os sons já ecoam em minha mente…
Taciturno, continuo inerte…
Não há resgate, não há modo de sair…
Por opção fiquei, por opção sofrerei.
Até o dia que souber que…
O sofrimento sou eu.

André Rocha
Inverno 2017

Você gostou? Compartilhe:
André Rocha em 08/04/17

O senhor da guerra não sabe o que é luta.
Não sabe o que é luto, nem sabe perder.
O senhor da guerra em sua piedade fajuta
Só diz intervir apenas para o mal conter.

Os sacos pretos anônimos nunca se viu
Pois o senhor da guerra é muito ocupado.
O senhor da guerra e seu interesse vil
Olha no espelho e nunca acha o culpado.

O senhor… não sabe o que é cova rasa,
Tampouco imagina tantas filas de cruzes.
Muitas as perdas e sem volta para casa,
Minutos de silêncio, apagam-se as luzes

Sentimento de perda aqui, ali, no mundo
Ódio induz ao ódio, falta até a esperança.
Todos já sabem, com um medo profundo:
“O senhor da guerra não gosta de criança.”

André Rocha

Você gostou? Compartilhe:

Tags: , , , , ,

André Rocha em 17/12/16
Ah, eu já nem me ouço!
Meus próprios conselhos
Cabem no meu bolso
E já sinto meus joelhos…
 
Caminhando, só pela rua
Bom, relembro como foi…
Não importar se sol ou lua
Independente, tchau ou oi!
 
E nada fazia sentido, mas
Era um bom tempo de paz
E não voltará, não voltará!
 
Sincera infância, tinha tudo!
E era só o que desse estudo
E é exatamente o que restará.
 
André Rocha
Primavera 16
Você gostou? Compartilhe: