Saudações! (Bom dia, boa tarde ou boa noite!)

Normalmente eu publico a poesia avulsa, assim como a criei. Hoje farei diferente, escreverei algo a mais! Como muitos (dos poucos) que visitam o blog sabem, também sou professor e como tal, me sensibilizo com situações envolvendo o sagrado espaço de uma escola, lugar que deveria ser incólume, mas tem se mostrado tão perigoso quanto os campos de batalha.

Para não variar, as pessoas irão buscar, em diversos lugares, resposta para o que aconteceu, assim como culpados para punir… infelizmente nada voltará a ser como antes, principalmente para as famílias dos jovens que foram tirados de nosso convívio. Muito tem-se falado em qualificar profissionais para a sociedade, mas pouco tem se preocupado em criar cidadãos para esta mesma sociedade.

É só um alerta. Em minha opinião, julgo mais importante incentivar os “bons dias, boas tardes ou boas noites”, do que simplesmente ensinar a “garantir um bom emprego”, pois se a moda pega, teremos duelo armado para disputa de postos de trabalho, para conquistar namorada (mesmo que seja com a própria), ameaça armada para aprovação na escola… e “punição” com execução sumária para aquele que não é “religioso”… Me auto-parafraseando: tudo não é pesadelo e se fosse, o pior seria acordar!

 

AUTO-REGRAS DE SOBREVIVÊNCIA

Se ainda não me basta viver tão angustiado,
A revolta e o crime não se torna meu direito.
Não sou dono da vida de quem está ao lado.
E não poderei julgar, seja qual for o defeito.

Se ainda não me dou bem com alguém por perto,
A primeira solução é simplesmente me afastar.
Posso inúmeras vezes fazer o que não é certo,
Entretanto a vida de terceiros não irei ceifar.

Adotar pequenas “auto-regras” de convivência,
Irão garantir uma pacífica sobrevivência,
A tudo que o mal possa tentar lhe corromper.

Não tenho pretensão em ser o dono da verdade,
Mas certamente posso dizer que a maldade,
Está mais perto de nós do que podemos perceber.

André Rocha
Outono 2011

Você gostou? Compartilhe:

Tags: , , , ,