Passando este dia tão quente. Tarde e noite igual.
Antes de tão suave que se fazia a hora, o encanto,
Mas pensando na decepção se apresentou o pranto.
E já não sei mais discernir o que é bem ou mal.

Nas tentativas de fazer o certo com todos a rodear
Eu Erro tanto em meu existir que me perco tentando
O que pensar se neste momento o vazio apertando
Não acho motivo que me convença então a continuar.

E são horas que torturam na falta de alguma razão
Então todos dizem que é assim mesmo quando pensamos
Sempre as dúvidas aparecem e somem e assim serão.

E no inconformismo me pego teimando e dando opinião
Antes fosse apenas pensar e esquecer o que falamos
Antes fosse tentar e conseguir dormir com a decepção.

André Rocha
Primavera 2011

Você gostou? Compartilhe:

1 comentário on INÉRCIA AFETIVA

  1. Vanessa disse:

    Nossa!Que poesia mais depressiva!Sai dessa!A vida é linda !Viva e seja feliz!Te amo!