Se eu não vejo o que é mal
O mal não chega a me atingir.
Mas então valerá também fingir
E se safar de toda dor afinal?

Martelo no prego, martelo no prego
De quem é a cabeça martelada?
Aquele que sofre por promessa fiada
Ou o grande defensor do próprio ego?

Céu nublado em dia cinzento
Desnorteia o perdido em tormento
Procurando uma migalha para comer.

Chão molhado e terreno barrento
Pisoteia o abandonado lazarento
Procurando um sorriso que valha viver.

André Rocha

Você gostou? Compartilhe:

Tags: , , ,