O sangue quente e o amor
Aquece todo feliz amante.
O sangue frio, em noite de dor
O desejar sarar por um instante.

O sangue, líquido perfeito
Se existe, corada face reporta.
Mas se falta muito no peito,
Denuncia outra vítima morta.

Sangue inocente na capa de jornal
É preto no branco, mas lá está.
Não existe cor, e sabemos ser mal.

Sangue inocente vende sem parar
Anuncio da morte tornando normal
O que antes chegava a assustar.

André Rocha
Inverno 2015

Você gostou? Compartilhe:

Tags: , , ,